Criada em 2002 a partir de um projeto desenvolvido para a Nissan, a Trade Marketing Force ganhou funcionalidades ao longo dos anos e também robustez.

Com um olhar mais amplo sobre a atuação do trade marketing, a plataforma criada por Tarcísio Bannwart, fundador da PH Design Systems é hoje a mais completa do mercado brasileiro – servindo como uma central de inteligência ao reunir em apenas um lugar todas as informações relevantes para a gestão. E ela segue em desenvolvimento.

A seguir o criador da TMF fala sobre sua criação e seus diferenciais.

Como nasceu a Trade Marketing Force?

Tarcísio Bannwart – A Trade Marketing Force foi criada na PH Design Systems em 2002 como um projeto de gestão de KPIs para a Nissan. Na época se chamava Expedition. Ele foi utilizado por 4 anos, fazendo o gerenciamento de KPIs e a divulgação do material em uma época na qual a internet era rudimentar, diferente de hoje. Foi neste momento que eu enxerguei o potencial do produto na gestão de incentivos e, logo na sequência, a possibilidade de criar um portal de comunicação. A Nissan tinha uma necessidade de manter contato direto com as concessionárias para lidar com o pós-venda e precisava de um canal. Então, em 2005, surgiu o portal de comunicação para encorpar a ferramenta. Daí vieram Mondelez e Suvinil, cujos contratos tinham o mesmo modelo de portal, com comunicação de objetivos e resultados voltados para o incentivo e foi quando o produto ganhou proporção, olhando para gestão de trade como um todo. Isso aconteceu em 2008.

Foi o primeiro produto criado pela PH?  

Tarcísio Bannwart – Não, já havíamos criado a Zeta, a Versus Mob…

Nosso sistema foi criado dentro da empresa e sem aporte externo. Não havia necessidade uma vez que somos uma empresa sólida, desde 2002 no mercado.

Como começaram a olhar o trade como um todo?

Tarcísio Bannwart – Apesar de termos nascido nos especializando em campanhas de incentivo, percebemos que o trade vai muito além do incentivo e também da execução no ponto de venda. Por isso começamos a pensar a TMF como uma ferramenta para fazer a gestão completa do trade, com a organização e gerenciamento dos números e todas as informações necessárias e importantes dentro de uma plataforma única. Para isso, fazemos integrações com os sistemas legados se for necessário, sejam eles aplicativos, ERPs, CRMs, plataformas de coleta de sell out… Se for uma informação estratégica para o trade, colocamos na plataforma!

A TMF foi criada 100% dentro da empresa?

Tarcísio Bannwart – Sim! Nosso sistema foi criado dentro da própria empresa e sem aporte externo. Não havia necessidade uma vez que somos uma empresa sólida, desde 2002 no mercado.

Hoje, qual o grande diferencial da TMF em relação às outras ferramentas de trade existentes no mercado?

Trade MarketingTMF sendo estruturada no quadro

Tarcísio Bannwart – Nós gerenciamos todos os processos e unificamos a leitura do campo em um único lugar. Centralizamos os dados e fazemos dar sentido a leitura de como está o campo. Nosso foco não é apenas o incentivo ou só a execução de PDV. Fazemos isso mas também gerenciamos todo o ecossistema do trade.

A TMF segue em desenvolvimento?

Tarcísio Bannwart – Sim, existe um roadmap anual, no qual analisamos as necessidades de desenvolvimento do software. No nosso caso, ele está sempre atrelado às necessidades dos clientes. A TMF é uma plataforma totalmente customizável, por isso ela se molda ao cliente. Neste processo, descobrimos soluções que melhoram o seu desempenho de um modo geral e a deixam cada dia mais completa.

O amadurecimento do trabalho só é possível a partir do momento que os responsáveis pelo trade saem da operação e automatizam os processos

Para onde a gestão do trade deve caminhar em uma empresa?

Tarcísio Bannwart – Para a formalização de processos, a criação de rotinas reais e mensuráveis, saindo um pouco do achismo que ainda está presente em algumas organizações. E também para uma estruturação melhor do orçamento, onde se consiga controlar a verba usando-a de forma planejada e estratégica. Hoje ainda se olha muito o dinheiro gasto, com o amadurecimento do trade tudo começa com um planejamento estratégico e o olhar se volta para o que vai ser feito e como deve ser mensurado.

E a figura do gestor ou do responsável pelo trade neste processo?

Tarcísio Bannwart – É fundamental. O amadurecimento do trabalho só é possível a partir do momento que os responsáveis pelo trade saem da operação e automatizam os processos, parando de gastar seu tempo operando planilhas e focando sua atenção na estratégia, na análise de dados e no planejamento. Enquanto eles ficarem apenas na operação e na execução não vão conseguir dar o resultado esperado pelas empresas.   

Trade MarketingTarcísio Bannwart e parte da equipe atual da PH

Conheça a Trade Marketing Force

Visite o site da Trade Marketing Force e confira suas funcionalidades. Aproveite e confira o nosso blog. Nele você pode encontrar artigos sobre campanhas de incentivo, gestão de orçamento, merchandising e muitos outros temas relacionados ao universo do Trade Marketing. Assista as videoaulas sobre tecnologia do trade e, se tiver alguma sugestão ou dúvida, basta deixar o seu comentário.

Estamos também nas redes sociais, toda semana com conteúdo novo sobre o trade, o mercado e o varejo em geral. Siga nossa página no Facebook e também nossa company page no LinkedIn. Assim você fica atualizado e ainda pode compartilhar conteúdo relevante com amigos e companheiros de trabalho. Acompanhe!

Até a semana que vem!

Sobre o autor
Tarcísio Bannwart
Tarcísio Bannwart
Diretor executivo - CEO
Criador do Trade Marketing Force, o portal de gestão mais completo do mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *