SaaS, sigla em inglês para Software as Service, ou software como serviço, é uma forma de adquirir um programa ou uma solução de tecnologia de forma remota, pela internet, sem a necessidade de instalações físicas.

Atualmente, esta é a maneira mais moderna para a contratação de sistemas de todos os tipos e para várias utilidades do dia a dia. A grande maioria das pessoas utiliza todos os dias pelo menos um aplicativo que funciona como SaaS sem saber. Por isso ainda há muito desconhecimento e dúvidas sobre ele no mercado.

A Trade Marketing Force é uma plataforma de gestão comercializada através deste método, então sabemos bem como ele funciona e porque é vantajoso para todos os envolvidos: quem contrata e quem fornece. Confira!

Como surgiu o SaaS

Você se lembra como era adquirir um software há 20 anos? Era preciso comprar uma licença, criar servidores, interligar terminais e fazer todas as instalações, além – é claro – de ter alguém para fazer tudo isso e dar manutenção, cuidar das atualizações, etc.

Era um trabalho enorme e caro que, muitas vezes, atrasava o crescimento de pequenas empresas porque acabava pedindo também investimentos em espaço, hardware e pessoal.

O surgimento da internet começou a mudar esse cenário. Primeiro veio o Application Service Provider, ou ASP, que agilizava o processo por usar a web, mas não reduzia os custos o suficiente pois ainda dependia de servidores físicos para o armazenamento dos dados.

O SaaS nasceu para unir as duas coisas, eficiência e custo baixo em relação aos modelos anteriores.

O que é o SaaS, na prática?

O SaaS utiliza o armazenamento em nuvem, no qual não há um servidor físico ou máquina que guarde as informações. Tudo fica armazenado em um espaço virtual que permite acesso a qualquer momento e de qualquer lugar desde que haja acesso a internet.

Deste modo, não é necessária a compra de novos equipamentos, discos de instalação ou HDs. E empresa que comercializa seus programas via SaaS, como a Trade Marketing Force, se responsabiliza pela implantação do sistema, a conectividade, os servidores e a segurança da informação. Para o contratante fica apenas a responsabilidade do uso.

Ou seja, ao invés de comprar uma licença e ter que fazer todas as instalações e armazenamento, a empresa que adquire um programa via SaaS não precisa se preocupar com nada disso.

É como fazer a assinatura de um serviço, por exemplo. A Netflix, o Spotify, o Dropbox e o Google Analytics, entre outros, são SaaS. Você faz a assinatura, paga uma mensalidade (ou em alguns casos utiliza a versão gratuita), baixa o aplicativo e utiliza quando quiser, sem a necessidade de comprar um novo hardware.

Todos os dados estão sempre disponíveis e sempre que há uma atualização ela é feita automaticamente, às vezes, sem que o usuário perceba ou tenha que fazer alguma coisa.

As vantagens do SaaS

Quando comparado ao modelo tradicional, o SaaS, de um modo geral, oferece as seguintes vantagens:

Acessibilidade

O programa é utilizado totalmente por meio da internet;

Custo inicial reduzido

Toda a implantação não requer investimento em hardware e pessoal;

Facilidade de pagamento

A cobrança é feita pelo uso e não por licença. Ao fim de um contrato basta fazer uma renovação ou não do serviço;

Atualização rápida e fácil

Todas as eventuais correções e atualizações são feitas pelo fornecedor do sistema, sem custo adicional para o usuário;

Integração simplificada

A maioria dos provedores de SaaS possibilitam integrações com outros sistemas através do uso de Interfaces de Programação de Aplicações, as APIs;

Segurança dos dados

Por não estarem em um ambiente físico os dados armazenados estão seguros contra roubo ou até desastres naturais;

Ganho de escala     

A utilização do SaaS permite que o crescimento do negócio não esteja atrelado a estruturas físicas, ou seja, não há barreiras para escalá-lo.

Em um primeiro momento, o armazenamento de dados em nuvem gerou um certo receio em alguns usuários em potencial. Hoje em dia este assunto é passado e segurança é prioridade das gigantes do mercado que tem os servidores mais utilizados, como é o caso da Amazon, por exemplo.

A tendência é que o SaaS só cresça nos próximos anos e seja o modelo de contratação de softwares padrão no mercado.

Acompanhe a TMF

Você provavelmente já utiliza algum programa ou aplicativo como SaaS e agora sabe das vantagens deste modelo. Se ainda tiver alguma dúvida ou uma sugestão sobre este tema, deixe um comentário no final do artigo.

Continue seguindo o blog da Trade Marketing Force. Semanalmente trazemos artigos com temas relacionados ao Trade Marketing, ao varejo e o mercado. Confira também nossas Videoaulas sobre tecnologia do Trade e siga nossas páginas no Facebook e no LinkedIn.

Elas trazem conteúdos originais produzidos especialmente para você se manter aprofundar seus conhecimentos sobre o trade e se manter atualizado sobre o varejo e o mercado em geral.

Até a semana que vem!

Sobre o autor
Tarcísio Bannwart
Tarcísio Bannwart
Diretor executivo - CEO
Criador do Trade Marketing Force, o portal de gestão mais completo do mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *