Avaliar seu time não é um processo difícil em condições normais, certo? Você cria KPIs para medir o desempenho, faz o acompanhamento dos números e obtém um resultado.

Mas como avaliar seu time durante uma situação tão diferente e desafiadora como uma pandemia?

As condições de trabalho mudaram tanto que as expectativas das empresas antes do surgimento do novo coronavírus precisaram ser revistas.

Nos primeiros meses da crise ainda havia muita dúvida sobre o seu impacto no mercado. Hoje sabe-se que, pelo menos até o fim do ano, a luta de muitas organizações será para sobreviver. Os planos de crescimento e avanço ficarão para o futuro.

No meio desse caos – de um modo ou de outro – as equipes continuaram trabalhando e tentando trazer resultados. Mas que metas estavam buscando?

A pandemia não exige apenas a revisão dos planos de investimento e faturamento do ano. É preciso criar outra forma de avaliar seu time e mantê-lo estimulado nesse momento difícil.

Pandemia aumentou a complexidade do mercado

O primeiro impacto da pandemia foi nas vendas. Com a quarentena decretada pelos governos estaduais, o comércio fechou as portas e os consumidores ficaram sem opção. Mas essa sequência de eventos não aconteceu de forma igual em todos os lugares.

Para empresas de atuação nacional, por exemplo, o cenário foi ainda mais complicado. Enquanto no Sudeste a restrição começou primeiro e de forma intensa, nas outras regiões do País a vida seguia normal.

Quando a situação se agravou no Amazonas, no Nordeste e no Centro-Oeste ainda não havia um fechamento completo do comércio. Com o passar do tempo a pandemia se alastrou em todo Brasil e, enquanto algumas cidades consideravam o lockdown, outras, no Sul, quando a doença pareceu diminuir um pouco, abriram seus shoppings centers.

Resumindo: o País que já é mercado complexo devido ao seu tamanho, se tornou um lugar ainda mais difícil para se atuar de maneira relativamente uniforme por conta das diferentes regras impostas pelos governos estaduais.

Como comparar o trabalho de um vendedor atuando com liberdade no Nordeste com o de outro totalmente impossibilitado de visitar os clientes no Sudeste, por exemplo? Pior, como vai exigir que ele venda o mesmo que vendia antes da pandemia?

Não só os números perderam o sentido como toda estratégia criada para avaliá-los também ficou defasada. Em poucos meses os KPIs imaginados no começo do ano ficaram comprometidos.

Avaliar seu time exige ir além da busca pela quantidade

Com as variáveis normais totalmente abaladas por uma situação fora do nosso controle, a solução é ir além dos indicadores muito matemáticos com foco na quantidade.

As metas de venda, por exemplo, não precisam (nem podem) ser ignoradas, mas não devem ser a única forma de avaliar um colaborador.

É preciso rever KPIs e criar novos índices baseados na qualidade do trabalho, por exemplo: proatividade, assiduidade, participação, etc. Estabelecendo alguns parâmetros numéricos é possível deixar as avaliações menos subjetivas.

Por exemplo, muitas empresas precisaram potencializar sua atuação online por conta da pandemia. Isso exigiu usar formas de contato e relacionamento com o cliente que estavam em segundo plano. Medir esse uso é uma forma de avaliar o colaborador.

Como? Pode ser pelo número de contatos feitos, ou respondidos. Número de novos possíveis clientes prospectados, etc. Depende do negócio e do objetivo.

Pense em outro caso, no qual a atuação o digital já era trabalhado, mas de uma hora para outra passou a representar 100% do negócio. É preciso dedicação do time para se adaptar, aprender a usar ferramentas, começar a atuar online. Tudo isso pode ser medido e se tornar uma forma de avaliar o envolvimento do funcionário.

“O bom gestor precisa ter um olhar que vá além do quantitativo e veja também o desempenho qualitativo nessa hora”.

É preciso encontrar pontos que podem ser calculados e substituí-los nas metas diárias e também nos programas de incentivo se for o caso.

Isso vale também para aqueles segmentos – como o de supermercados – que cresceram durante a pandemia e tiveram suas rotinas alteradas totalmente pelo excesso de procura.

Nesses casos, as metas quantitativas perderam seu significado rápido e os colaboradores tiveram que se esforçar além do normal para atender a demanda.

Note que mesmo com uma situação positiva para o negócio, a forma de atuar do time teve que mudar por causa da pandemia e isso precisa ser levado em conta e medido.

Pense nisso.

Conheça a Trade Marketing Force

Fazer uma troca de KPIs e avaliar seu time a partir de outros parâmetros, pode ser mais fácil com a utilização de uma plataforma de gestão.

A Trade Marketing Force, a mais completa plataforma de gestão de Trade Marketing do mercado nacional e também o mais eficiente aplicativo de gestão de campo, pode ajudar nessa tarefa.

Acesse o site e conheça todas as suas funções. Aproveite e visite o blog, onde estão dezenas de artigos sobre Trade Marketing e temas relacionados ao mercado, ao varejo e a gestão das organizações.

No site você também encontra várias videoaulas sobre tecnologia do Trade Marketing que complementam assuntos abordados nos artigos.

Siga nossas redes sociais e receba os conteúdos originais que produzimos semanalmente. Estamos presentes no Facebook, no LinkedIn e no Instagram com postagens para você se manter atualizado. Leia compartilhe com sua equipe!

Espero que você esteja trabalhando com segurança! Proteja-se!

Até a próxima semana!

Sobre o autor
Tarcísio Bannwart
Tarcísio Bannwart
Diretor executivo - CEO
Criador do Trade Marketing Force, o portal de gestão mais completo do mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *