fbpx Vamos conversar?

Embora a pandemia de Covid-19 esteja com os dias contados, com a vacinação acontecendo em todas as partes do mundo, 2021 ainda será um ano afetado pela necessidade de distanciamento social.

Além, de obviamente, impactar o consumo, a proibição de aglomerações impede um dos mais importantes trabalhos de negociação do Trade Marketing: a participação em eventos.

Esse ano, por exemplo, mais uma vez o APAS Show, considerado o maior evento mundial do setor supermercadista, não vai ser realizado. 

É um prejuízo enorme para o setor, uma vez que a feira organizada pela Associação Paulista de Supermercados recebe normalmente mais de 80 mil visitantes e funciona como um grande momento para que as marcas apresentem seus novos produtos.

No final do ano passado ainda havia a expectativa que muitos eventos acontecessem em 2021. Algumas entidades ainda mantêm firmes o objetivo de promover encontros presenciais no segundo semestre.

O fato é que não é possível esperar para saber se esses eventos – que são tão importantes para as negociações e a manutenção de relacionamentos – vão acontecer ou não.

O Trade precisa de um Plano B caso passe mais um ano sem eventos.

O mercado não está totalmente sem eventos  

É claro que quando escrevo “sem eventos” estou me referindo à ausência de feiras e meetings sem encontros presenciais. Assim como aconteceu no dia a dia de todos nós, as reuniões virtuais acabaram ganhando espaço e suprindo parte da necessidade do setor.

A National Retail Federation (NRF), que anualmente realiza nos Estados Unidos no início do ano o maior evento de varejo do mundo, o Retail’s Big Show, promoveu um encontro online esse ano com a presença dos grandes nomes que a feira sem traz.

A organização, inicialmente, havia planejado dividir o evento em duas partes, uma virtual em janeiro e outra presencial, em junho, mas já voltou atrás e anunciou que o encontro do meio do ano será online novamente. O Javits Center, centro de convenções onde a feira é realizada, em Nova York, está sendo usado como local para distribuição de vacinas.

No Brasil muitas empresas de eventos se organizaram durante o último ano para adaptar seus encontros transformando-os em grandes reuniões virtuais.

Os encontros online são importantes porque permitem a troca de informações básicas, mas assim como acontece em outros momentos da nossa vida, não se comparam à presença física, principalmente quando há alguma negociação em jogo.

De qualquer maneira, é importante participar dos eventos virtuais para não perder a conexão com os parceiros e players do mercado, e também para se manter atualizado (a).  

Prepare-se já para mais um ano sem encontros presenciais    

A falta de eventos é ruim principalmente para o time de vendas, que perde um espaço para networking e um palco para conhecer ou apresentar novos produtos e conceitos inovadores ao mercado

Embora 2020 tenha sido um ano com menos lançamentos, até porque a indústria sofreu com a falta de matéria prima, não é possível ficar sem lançar nada ou ao menos renovar alguns itens do portfólio. O mundo não para e as pessoas continuam querendo comprar, mesmo que seja das suas casas.

Nesse aspecto, a comunicação se torna mais importante do que nunca esse ano e o primeiro alvo deve ser o parceiro da cadeia de distribuição.

O Trade, em conjunto com o Marketing, deve criar estratégias para impactar distribuidores e varejistas chamando sua atenção para lançamentos, ações promocionais, programas de incentivo.

A lógica é simples:

“Se você não se movimentar para mostrar o que está fazendo, seu cliente não vai se preocupar em ir até você”.

Sem a possibilidade de encontros presenciais é preciso investir em:

– E-mails mais assertivos;

– Ações de parceria que obriguem uma troca constante;

– Conteúdo objetivo nas redes sociais;

– Contato direto por telefone.  

Mas não é só abrir canais de comunicação. Que tipo de kit deve ser montado para apresentar um novo produto? O virtual e o físico devem trabalhar juntos nessa hora. Nada impede, por exemplo, o envio de amostras para serem abertas pelos parceiros durante uma reunião online.  

Vídeos explicativos sobre o funcionamento e/ou uso de novos produtos também podem substituir as demonstrações presencias.

Tudo depende do seu segmento, obviamente. Nem todos trabalham com itens que geram amostras de teste ou possibilitam degustação. Por outro lado, vamos lembrar que os grandes eventos estão proibidos, mas os encontros não.    

É possível, por exemplo, criar uma agenda de atendimentos pessoais pontuais desde que todas as medidas de segurança sejam respeitadas. Talvez não seja o caso de chamar todos os parceiros, mas suas key accounts podem merecer um tratamento diferenciado.

É hora de usar a criatividade para se conectar e vender.     

Pense nisso!

Conheça a Trade Marketing Force 

A Trade Marketing Force é a mais completa plataforma de gestão de Trade Marketing e Vendas do mercado nacional. É também o mais eficiente aplicativo de gestão de campo do Brasil.

A TMF busca diminuir a distância entre toda a cadeia de suprimentos e a indústria, dinamiza processos, organiza resultados e facilita a apuração de dados.

Deste modo, traz agilidade, criando uma indústria 4.0 alinhada com as melhores práticas de BPM e gerando transparência para seus clientes e fortalecendo a relação com a equipe.

Conheça nosso site e aproveite e visite nosso blog também! Toda semana publicamos artigos originais e inéditos sobre Trade Marketing, gestão e varejo, entre outros temas, para ajudar nossos leitores.

Nossas redes sociais trazem diariamente informações sobre o mercado que você pode aproveitar. Siga nossos perfis no Facebook, no LinkedIn e também no Instagram. Curta e compartilhe com a sua equipe!

Trabalhe com segurança! Proteja-se contra a Covid, a pandemia não acabou!

Até a próxima semana!

Sobre o autor
Tarcísio Bannwart
Tarcísio Bannwart
Diretor executivo - CEO
Criador do Trade Marketing Force, o portal de gestão mais completo do mercado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *